O Fantasma de Canterville – exercícios

Uma pequena ficha com dois exercícios de verificação de leitura do conto O Fantasma de Canterville, de Oscar Wilde. Bom trabalho!

captura-de-ecra%cc%83-2017-01-08-as-15-17-22

[ ver / descarregar ]

Anúncios

O Fantasma de Canterville – as categorias da narrativa (ppt)

PowerPoint sobre as categorias da narrativa do conto O Fantasma de Canterville, de Oscar Wilde:

captura-de-ecra%cc%83-2017-01-04-as-20-03-40

[ ver / descarregar ]

“O Fantasma de Canterville” – questionário de verificação de leitura

Depois da leitura integral do conto “O Fantasma de Canterville”, de Oscar Wilde, responde às questões desta ficha de verificação de leitura. Bom trabalho!

captura-de-ecra%cc%83-2017-01-03-as-13-29-11

[ ver / descarregar ]

Os Lusíadas nos Exames Nacionais

Compilação de todas as questões sobre Os Lusíadas que surgiram nos Exames Nacionais (de 2005 a 2015). Podes consultar as critérios de correção aqui. Bom trabalho!

Captura de ecrã 2016-01-26, às 20.00.28[ ver / descarregar

Notaneste texto, encontras alguns conselhos sobre como te preparares convenientemente para o Exame Nacional.

Os Lusíadas – verificação de leitura

Terminámos o estudo d’ Os Lusíadas. Assim sendo, tenta responder a este questionário de verificação de leitura dos episódios que analisámos. Basta escolheres a opção correta, em cada uma das questões. Bom estudo!

captura-de-ecra-2017-02-14-as-11-33-06

[ ver / descarregar ]

Os Lusíadas – a história de amor de D. Pedro e Inês de Castro

Inês de Castro from Carlos Silveira on Vimeo.

A história de D. Pedro e Inês de Castro, a “Rainha que foi coroada depois de morta” os amores e as lágrimas, são a celebração e a reabilitação do amor que acima de tudo humano, está para além dos tempos.

As pessoas ainda evocam uma das heroínas mais trágicas de todos os tempos, cuja história é baseada não só na língua e na história de Portugal, mas também nos mitos e fábulas universais.

Nascidos da Saudade, Inês e Pedro são eternos!

Filmado em Alcobaça e Óbidos, em 2012.

Os Lusíadas – Inês de Castro (a história e a lenda)

O Infante D.Pedro (1230-1367) era casado com D. Constança, mantendo, no entanto, uma ilícita relação amorosa com D.Inês, de quem tinha três filhos. Dada a ascendência castelhana de D.Inês, o Rei D. Afonso IV e os seus conselheiros viam, nesta relação, um potencial perigo para a independência nacional.

Inicialmente, o rei D. Afonso IV tentou pôr fim a tal relação, expulsando D. Inês de Castro do reino. Esta ficou, no entanto, na fronteira espanhola, continuando a manter contacto com D. Pedro. A situação agravou-se quando D. Constança morreu. D. Pedro, agora viúvo, fez regressar D. Inês à corte, contra ordem expressa de seu pai, D. Afonso IV.

Em Coimbra, aproveitandoa ausência de D.Pedro numa caçada, D. Inês foi morta pelos conselheiros (Diogo Lopes Pacheco, Pêro Coelho e Álvaro Gonçalves), por ordem do Monarca.

1355 - D. Inês de Castro

Mais tarde, quando D.Pedro I subiu ao trono, mandou matar aqueles conselheiros, vingando a morte de D. Inês, executando de modo cruel os ex-conselheiros do seu pai, na altura refugiados em Espanha. Diz a lenda que retirou o coração, a um, pelas costas, a outro, pelo peito. O terceiro conseguiu refugiar-se em Castela. Reza, ainda, a lenda que D.Pedro coroou D.Inês rainha depois de morta.

A reabilitação da figura de D. Inês completou-se com a transferência do seu cadáver, de Coimbra para o mosteiro de Alcobaça, numa cerimónia que se revestiu de uma imponência nunca presenciada em Portugal.

A trágica história de D. Pedro e D. Inês inspirou poetas, dramaturgos, compositores e artistas plásticos, em Portugal e no estrangeiro. Camões foi um dos escritores a celebrar a lenda, referida em Os Lusíadas. De entre a vasta lista de obras que tratam o tema destacam-se Castro , de António Ferreira (tragédia), Inês de Castro na Poesia e na Lenda, de António Lopes Vieira, e ainda as célebres Trovas à Morte de D. Inês de Castro, de Garcia de Resende, publicadas no Cancioneiro Geral.

 Nota – para guardares este texto em pdf, carrega aqui.

Os Lusíadas – narração e consílio dos deuses (quest.II)

Questionário de interpretação global d’ Os Lusíadas, I, 19-41: o início da narração e o consílio dos deuses. No grupo II, encontras algumas questões de gramática.

Responde às questões que te são apresentadas e, no final, consulta a proposta de correção, para corrigires as tuas respostas. Bom trabalho!

captura-de-ecra%cc%83-2017-02-14-as-11-51-09

[ ver / descarregar ]

Nota: sobre esta parte da obra, podes ainda consultar:

  • um resumo/esquema do episódio do consílio dos deuses (ver aqui)
  • um outro questionário de interpretação global (ver aqui)
  • um questionário de escolha múltipla sobre o consílio dos deuses (ver aqui)
  • um passatempo de palavras cruzadas sobre o consílio dos deuses (ver aqui)

Os Lusíadas – a mitologia

A propósito da análise ao episódio do consílio dos deuses, disponibilizo o PowerPoint que vos mostrei na aula sobre sobre alguns dos deuses que surgem n’ Os Lusíadas. Bom estudo!

captura-de-ecra%cc%83-2017-02-14-as-11-54-51

[ ver / descarregar ]

Nota: sobre o episódio do consilio dos deuses, podes ainda consultar:

 

Os Lusíadas – análise da invocação (I, 4-6)

Ficha informativa com a análise da Invocação (Os Lusíadas, I, 4-5). Bom estudo!

captura-de-ecra%cc%83-2017-02-14-as-12-00-05

[ ver / descarregar ]

Nota – para completares o teu estudo sobre esta parte da obra, consulta este PowerPoint e realiza os exercícios desta ficha de preenchimento de espaços ou ainda desta outra.